Casa-Museu Apresentação

Com uma localização ímpar, a Casa-Museu da Fundação Passos Canavarro, sedeada na Casa adquirida, em 1841, por Passos Manuel e Gervásia de Sousa Falcão e imortalizada por Almeida Garrett nas “Viagens na Minha Terra” situa-se onde, nas origens da nacionalidade, conforme confrontações históricas, se situava o Paço de D. Afonso Henrique. Neste propósito escreveu Garrett: “Notável combinação do acaso! Que o ilustre e venerando chefe do partido progressista em Portugal, que o homem de mais sinceras convicções democráticas, e que mais sinceramente as combina com o respeito e adesão às formas monárquicas, esse homem, vindo do Minho, do berço da dinastia e da Nação, viesse fixar aqui a sua residência no alcáçar do nosso primeiro rei, conquistado pela sua espada num dos feitos mais insignes daquela era de prodígios!” [in “Viagens na Minha Terra”, Cap. XXVIII”].

Em 1937, nasceu aqui, no quarto onde pernoitou Garrett, Pedro canavarro. Fundador e doador da Colecção que constitui o espólio desta Casa-Museu.

Esta Colecção é composta maioritariamente por artes decorativas, incluindo pintura, mobiliário, porcelanas e outros objectos. Pedro Canavarro, viveu em meados da década de 60 no Japão, pelo que a arte oriental tem um destaque central…

Este edifício alberga ainda: as doações da pintora francesa Mimi Fogt e as xilogravuras de Pedro de Sousa, doadas à Fundação por Magda Avelar Pinheiro, sua mulher, e André de Sousa, o seu filho.

Venha, você também, “ver o Tejo como Garrett o viu”!

Seja muito bem-vindo!