Casa-Museu Mimi Fogt Biografia

mimi

 

“[…] Como é prodigiosa a pureza das nuvens brancas que tu pintas
e o céu de um azul tão puro que entre elas se entrevê!
Tu amas os contrários a leveza e a densidade
e assim constróis o teu espaço de um equilíbrio que dança.”

— António Ramos Rosa, 1994

 

Mimi Françoise Fogt nasceu em Paris, em 1923, e morreu no Algarve, em 2005.

Estudou pintura com André Lhote.

Expôs em Londres, Paris, Nova Iorque, Cidade do México e Lisboa, retratando muito particularmente os amigos que a rodeavam: Pierre Schaeffer, Jacques e Claude Lanzmann, Giacometti, Marcel Duchamp, Norman Maclaren, Man Ray, Diego de Rivera, entre outros. O ambiente artístico de Saint Germain-des-Prés, dos anos 50, marcou-a profundamente, mas não a limitou às vivências profundas que, mais tarde, o México e Portugal lhe proporcionaram, escolhendo este país influenciada pela leitura de Eça de Queiroz e pela transparência da luz – chamou à sua casa, de Sintra, “Reliquia”.

Está representada em numerosas colecções particulares e públicas na Europa, Estados Unidos da América, México, Brasil e Portugal.

mimi-e-pcanavarroPedro Canavarro e Mimi Fogt, no Algarve, nos finais dos anos 90

Doou o seu espólio artístico à Fundação Passos Canavarro em 2001.

Obras estas que se dividem entre os retratos, os nus e as paisagens – com grande destaque a Serra de Sintra.