Casa-Museu Mimi Fogt Os retratos

mimi2

Na sua vida artística, Mimi retratou, ora a óleo, a aguarela ou desenho, alguns dos vultos mais importantes das letras, da música, do teatro ou do cinema mundial, e os quais são, na grande maioria desconhecidos do grande público. Assim, achamos por bem orientar o visitante, dando a cada um destes rostos a sua biografia. Desde os tempos de Paris, passados na “Rive Gauche”, no incomparável ambiente de Saint Germain-des-Prés, passando por Espanha, México, Estados Unidos e Portugal, Mimi retratou personagens únicas da história do Século XX.

De todos os retratos, o mais simbólico é o de Maurice Fogt (feito em 1952), pai da pintora e por quem tinha uma enorme cumplicidade. Aliás, foi por ocasião da sua morte que Mimi, nos finais dos anos 60 decide sair do México, onde vivia, e influenciada pela leitura de Eça de Queiroz, viaja para Portugal, de onde nunca mais sairia.

 

Obras a óleo:

  • O Casal Jacques Lanzman e Blanca. Jacques Lanzman nasceu em 1927 e morreu em 2006. Foi um escritor e letristas. Lanzman foi o autor de mais de 150 canções de grandes nomes da música francesa como, entre outros  Jacques Dutronc, France Gall, Régine,  Enrico Macias, Mireille Darc, Dani, ou Pascal Obispo.
  • Pierre Schaeffer (1910-1995) músico e escritor, considerado em França como o pai da música concerta e da música electro-acustica.
  • Claude Lanzman (nascido 1925). Jornalista, escitor e cineasta francês. Com a idade de 18 anos alistou-se na resistência em Clermont-Ferrand. Foi companheiro de Simone de Beauvoir entre 1952 et 1959, a quem lhe sucedeu, em 1986, como Director da revista “LesTemps Modernes”, onde já colaborava desde os anos 50.Da sua carreira cinematográfica destaca-se o polémico documentário Shoah de 1985.
  • Hervé Alphand. Diplomata Francês, pintado por Mimi em 1956, que foi o Embaixador Francês em Washington quando da presidência de John Kennedy.
  • Pilar (s/d, aprox., 1955). Mulher espanhola que tomava conta de Mimi quando este viveu em Torre Vieja, Espanha.
  • Alberto Isaac, "El Güero", nasceu em 1923 e morreu em 1998. Foi o homem dos mil e um ofícios: desportista (nadador que participou em dois Jogos Olímpicos de Helsínquia (1940) e Londres (1944 ), caricaturista, jornalista, cineasta e pintor.
  • Maria de Lurdes Martins Norberto (dois quadros: 1973 e 1977) (Lisboa, 28 de Janeiro de 1935) é uma actriz de teatro portuguesa, que estreou-se, em 1941, com 9 anos de idade, no Teatro Nacional (Companhia Rey Colaço/ Robles Monteiro), numa adaptação para teatro de Os Maias, no papel de Rosider.

 

Desenhos:

  • Diego Rivera nasceu a 8 de Dezembro de 1886 e morreu no dia 24 de Novembro de 1957. Foi considerado um dos principais pintores mexicanos e foi essencialmente conhecido pelos seus murais. Rivera preferia o mural à pintura de cavalete porque “era burguesa, pois em maior parte dos casos as telas ficavam confinadas em colecções particulares”. Rivera ao longo da sua vida terá pintado mais de dois mil quadros, cinco mil desenhos e cerca de quatro mil metros quadrados de pintura mural. Casou com também pintora mexicana Frida Kahlo.
  • Marcel Duchamp nasceu a 28 de Julho de 1887 e morreu a 2 de Outubro de 1968. foi pintor, escultor e poeta francês (naturalizado de cidadão norte-americano em 1955). Cultivador do movimento “Ready Made, que pode, sucintamente, ser entendido  como a utilização de objectos industrializados no âmbito da arte, desprezando noções comuns à arte histórica como estilo ou manufactura do objecto de arte, e referindo sua produção primariamente à ideia.
  • Man Ray  (Emanuel Rudzitsky), nasceu em  Filadélfia,   a 27 de Agosto de 1890 e morreu em Paris no dia  18 de Novembro de 1976. Durante a sua vida artística Man Ray foi fotógrafo e pintor. Politicamente assumia-se de anarquista.
  • O escritor Mexicano Juan Rulfo nasceu a 16 de Maio de 1917 e morreu no dia 8 de Janeiro de 1986. Da sua carreira literária só duas obras foram públicas em vida, estando a primeira dela traduzida em Português: o livro de contos “El llano en llamas”  (A planície em chamas de 1953), e o romance Pedro Páramo  (de 1955).
  • Norman McLaren nasceu Escócia em Stirling, a 11 de Abril de 1914 e falecendo em Montreal, Canadá, no dia, 26 de Janeiro de 1987. McLaren foi um mago dos filmes de animação, sendo os seus trabalhos animadores escoceses voltados para a animação artística, teve a maioria de seus trabalhos patrocinado pela "Secretaria Nacional de Cinema do Canadá", onde realizou grandes obras. Uma das técnicas pela qual ficou consagrado foi a de fazer animação directamente na película, riscando e desenhando, tudo isso ao som de jazz, do qual era adepto dedicado.

 

Aguarela:

  • O retrato de Pedro Canavarro, feito a 20 de Junho de 1982, um domingo estival, no Algarve, com a inscrição “Je vois tout l’exposition”, é facilmente enquadrado. Pedro Canavarro havido sido nomeado Comissário-Geral da XVII Exposição Europeia de Arte Ciência e Cultura que foi organizada pelo Governo Português, sob os auspícios do Conselho da Europa, e subordinada ao tema " Os descobrimentos Portugueses e a Europa do Renascimento". Pedro Canavarro, ao olhar a piscina e a meditar sobre esse grande acontecimento museológico, sem se aperceber que estava a ser retratado, teve     nesse momento a ideia global de como seria esse acontecimento, tendo exclamado que tinha visto toda a exposição.
  • Maja – cadela pintada a aguarela por Mimi, em 1974, e por quem tinha grande afecto. Inclui a anotação: “Maja, Portugal, en Hommage”